Caipirinha – um curso rápido

Apesar do famoso coquetel brasileiro conquistar aclamação internacional, o Reino Unido permanece relativamente imparcial com a caipirinha. Nestes tempos de renascimento do rum e do gim, a caipirinha é um coquetel um tanto desconhecido e ainda na lista de coquetéis a serem apreciados.

Quando Jimmy Buffet declarou “se a vida te der limões, use-os para fazer margaritas”, é provável que ele ainda não tivesse descoberto a caipirinha. A declaração do cantor e compositor americano pode ter feito maravilhas para o coquetel feito com tequila, mas prefiro utilizar os limões de uma maneira diferente quando se trata de frutas cítricas.

É comum ver a caipirinha na lista de coquetéis latino-americanos, junto à margarita e ao daiquiri, mas a caipirinha é mais do que apenas um coquetel – é um tesouro nacional. O verde e o amarelo espelham as paisagens épicas do país enquanto o balanço perfeito entre o sabor doce e o azedo simboliza a diversidade da cultura brasileira: é o Brasil em um copo, depois que você conhece, passa a amar e quer sempre mais.

A bebida em si não poderia ser mais simples. Há variações sobre a preparação, mas uma caipirinha tradicional é feita com um limão cortado e suavemente amassado junto com uma colher cheia de açúcar (de preferência usando um socador, um pilão de madeira – mas qualquer colher de madeira será suficiente). O truque é espremer o máximo do suco do limão sem danificar a casca, o que iria liberar um sabor amargo. Para resultados mais autênticos, você deve usar o limão verde brasileiro recém-cortado (amplamente disponível no Reino Unido) e açúcar superfino (não o açúcar granulado ou o moreno, nem adoçante). Coloque gelo e cachaça e misture bem. Muitas vezes vale a pena usar um agitador de coquetel para garantir que os ingredientes se misturem perfeitamente.

Agora você já sabe como preparar uma caipirinha, e será que você sabe pedir uma? Ao contrário dos outros drinks latino-americanos, a caipirinha foi “batizada” em português, não em espanhol. Aqui vai a pronúncia: Kai-peer-REEN-ya. Estritamente falando há quatro sílabas distintas, mas a licença fonética da linguagem local permite uma entonação mais esticada. Não se preocupe, fica fácil de falar depois da primeira.

A história da Caipirinha

Enquanto a produção de cachaça pode ser rastreada até meados de 1500, levou vários séculos para este trio de açúcar, limão e cachaça se reunir. A lenda diz que a receita foi usada para ajudar a aliviar os sintomas da epidemia de gripe espanhola no início do século 20.

Pelas suas qualidades medicinais, o sabor era marcadamente menos saboroso, e a mistura provavelmente continha alho, mel, limão e outras substâncias naturais. Em algum ponto o açúcar foi adicionado – talvez para amenizar o sabor da mistura. Não demorou muito para que um aspirante a barman, talvez um caipira ou alguém da roça, adicionasse um pouco de gelo e nascesse um coquetel absolutamente apaixonante. Hoje a caipirinha é sinônimo da cultura brasileira, assim como suas belas praias e o futebol. É um cartão de visitas de uma nação que adora se divertir.

A tradicional caipirinha é uma receita simples, mas que requer certo grau de criatividade e talento nas nuances de sua preparação. Atualmente a caipirinha também é feita com uma variedade de frutas tropicais que promovem uma infinidade de sabores e cores.

Como fazer a caipirinha perfeita

O preparo e as quantidades são quase sempre iguais, mas variando os ingredientes, você pode surpreender os seus amigos com diferentes tipos de frutas.

A caipirinha, conhecida por 10 em cada 10 brasileiros, é feita com poucos e simples ingredientes: 50 ml de cachaça, 2 colheres de sobremesa de açúcar, 1 limão e gelo. Mas, se não forem observados alguns detalhes, o drink pode não ficar como esperado. Preparar a caipirinha perfeita é uma arte e hoje você vai se tornar um artista. Vamos lá!
Copo – use copos old-fashioned ou, preferencialmente, com a boca mais larga que a base.

Limão – deve ser de tamanho médio, macio, com a casca bem verde e lisa. Corte-o em oito pedaços e remova a parte branca do meio. Assim, ele não irá amargar. Coloque-o no fundo do copo com a casca virada para baixo.

Açúcar – prefira o açúcar branco refinado. Adicione duas colheres de sobremesa ao copo.

Agora você deve amassar o açúcar e o limão, até soltar bastante suco. Não amasse demais para que a casca não deixe um sabor amargo.

Cachaça – qualquer cachaça pode ser usada, mas quanto melhor a qualidade dela, melhor ficará o sabor do seu drink. Adicione 50 ml ao copo (no Brasil, o equivalente a uma dose; no Reino Unido, a duas).

Misture bem os ingredientes no copo e adicione muito gelo em cubos, para que sua bebida fique bem refrescante. Pronto, você fez uma caipirinha perfeita!

Variações

Além do limão, você pode usar outras frutas: tangerina, morango, manga, lichia, kiwi, limão siciliano, frutas vermelhas ou uvas, adequando a quantidade de açúcar, que pode variar. Evite frutas muito macias, como banana ou mamão, para não acabar fazendo uma vitamina alcóolica. Você pode também adicionar pequenas quantidades de ervas, como hortelã ou manjericão (que vão bem com as frutas mais cítricas), além de pimenta e gengibre (com as frutas mais doces).

Experimente também usar outras bebidas no lugar da cachaça, na mesma quantidade, como a vodca e o saquê. A vodca combina com qualquer fruta, já na ‘saquerinha’ devemos evitar as frutas cítricas, dando preferência às frutas mais delicadas, como uva, lichia ou kiwi.
A caipirinha também pode ser misturada em uma coqueteleira, para obter um sabor mais suave.